segunda-feira, 26 de abril de 2010

Cada um no seu cada um...

.....deixa o cada um dos outros....
E isso que diz a música?....Acho que sim. Então porque não deixam o meu, e cuidam do seu.

Então vamos ao significado da palavra “Hipocrisia”.

A hipocrisia é o ato de fingir ter crenças, virtudes, idéias e sentimentos, que a pessoa na verdade não possui. A palavra deriva do latim hypocrisis e do grego hupokrisis, ambos significando a representação de um ator, atuação, fingimento (no sentido artístico). Essa palavra passou, mais tarde, a designar moralmente pessoas que representam, que fingem comportamentos.
Wikipédia

[Retomando]

Parei pra fazer uma auto-analise, e rever o meu ponto de vista sbre muitas coisas. Tá...valeu muito a pena, descobri que não sou hipocrita, não finjo crenças (sinceramente, sou discrente sobre muitas coisas principalmente com pessoas), virtudes (até que tenho algumas e tento passa-lás aos meus filhos), idéias (sou fiel as minhas, só as mudo quando percebo que estou errada e mesmo assim demora), sentimentos (os mais sinceros possíveis).
Ai você me pergunta: Nossa Nathália você não tem defeitos?

E eu respondo: Muitos, sou intransigente, sou possessiva, tenho um orgulho imenso (que quase me afogo), ás vezes sou tão chata que nem eu mesma me suporto, quero tudo pra hoje e nada para amanhã, demoro a desculpar (pisou na bola, basta uma vez só), não tento ser amiga de quem não gosto, evito falar com a pessoa, e não desloco o meu traseiro até onde elas estão.

Sou hipocrita?
Quase certeza que não.

Preconceito é uma coisa que me tira do sério, tenho pavor a qualquer tipo. Como diz o ditado “macaco senta em cima do seu rabo e só olha pro rabo alheio”, acho que é isso, se não for isso é quase.

Se já fui hipocrita algum dia?
Quase certeza que sim, já falei da vida dos outros, já me importei com o que falavam de mim.

Hoje já não me interessa a vida de ninguém, pois tenho a minha pra cuidar, se quiserem falar de mim, fiquem a vontade, se irão falar bem, ou se irão falar mal, pouco me importa.

Hoje não me importo com fofocas e boatos. Me preocupo mais com as minhas opiniões e em mante-lás, em passar e aprender valores, e me preocupo em não pré julgar e não apontar.

Acho que já amadureci um bocado.

O motivo desse texto?

Sei lá, resolvi fazer uma postagem, estava sem assunto e quando percebi, saiu tudo isso.



24 comentários:

Chica disse...

Foi um grande desabafo e é bom colocar pora fota o que está incomodando...beijos,linda semana,chica

Elaine Barnes disse...

Ser hipócrita faz parte do crescimento para aprender o que é e depois mudar. Nos aceitarmos como somos e realmente mudarmos no que está nos prejudicando. É isso aí,amadurecemos quando aprendemos a dizer não.O sim para nós buscando nosso prazer e o que nos enriquece como pessoas dá uma paz tamanha que dificilmente nos deixamos invadir. Achei uma maravilha seu post e corretíssimo. Ema,ema, ema...rs... Montão de bjs e abraços

Luciana Klopper disse...

Desabafou por você e por mim também! Ufaa

Elaine disse...

Ná,
Isso me acontece sempre: sento pensando em escrever uma coisa daí sai outra... vai entender.
Mas ficou interessante seu desabafo...
Beijossss

Elaine disse...

Adivinha?
Estou eu no recesso do meu lar ni qui mi chega
correio.
Amei, amei, amei........
Duas coisas que mais amo ganhar na vida! Chinelo e pano de prato: serei viciada?
Muito muito muito obrigada!!!
Sente meu entusiasmo?
Assim que irmã me devolver minha máquina postarei fotas.
Beijossss

Lidia Ferreira disse...

Adorei , tem gente que usa essa palavra sem saber o significado

Vim agradecer o carinho da sua palavras, e olha eu entendo bem que nem sempre pode deixar um Comentário ,mas o que importa e que somos amiga e tenho certeza que se um dia eu precisar voce vira me ajudar , a verdadeira amizade e isso
bjs

Taia Assunção disse...

A muito tempo não sofro com a intervenção alheia. Moramos numa cidade onde cada um cuida da sua vida, longe dos familiares. A saudade é grande, mas como nos vemos apenas nas férias só vemos a parte boa das relações familiares. As picuinhas do dia a dia não existe para nós. E isso é muito bom pois nos impomos e vivemos do modo que achamos correto. Beijocas!

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Hipocrisia é prima-irmã da mentira. E não creio que você tenha sido hipócrita um dia. Sabe por quê? Porque quem é hipócrita, é todos os dias e este não é seu perfil. O que pode acontecer com todos nós, é um erro de análise, tomar uma posição errada ou precipitada, ou às vezes nos calamos diante de algo, ou dizemos algo só para agradar mas isso nnão pode virar um hábito, senão vira hipocrisia mesmo. Seu texto está ótimo, importante reflexão. Beijos

Pelos caminhos da vida. disse...

Desabafou amiga, não devemos guardar.

beijooo.

Dani dutch disse...

Ná, tudo bem?

Sempre comentava em casa ( no Brasil) que o mundo fora da nossa casa é a selva que precisamos passar por ela todos os dias e sobreviver a ela também, e a nossa casa é o aconchego onde encontramos paz, amor, e tudo verdadeiro. bjuss

Pelos caminhos da vida. disse...

Hoje à partir das 18 hrs, meu blog está concorrendo mais uma votação da Copa Blog, conto com seu voto amiga.Essa votação termina dia 05/05 e, depois aguardar a semi- final.

Meu blog é:

http://anamgs.blogspot.com

O site para a votação é esse aqui:

http://dado.pag.zip.net/

Caso não consiga acessar por aqui, o link está no final do post atual meu.

Desde já fico-lhe grata.

Uma semana de muita luz.

beijooo.

Luciana Klopper disse...

Viu, como nossas confusões são claras?
srsrs

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Nathália,

Escrevemos sobre o mesmo tema, coincidência, hein? Esse assunto por mais que seja debatido e conversado, ainda existem pessoas que não mudam a forma de pensar e agir. Uma pena! E gente hipócrita? Vixe, tem puxando a rodo!

Espero não perder contato, viu?

Beijo imenso, menina linda.

Rebeca

-

Cris Oliveira disse...

Ah Na...o ser humano é explicitamente complicado, passamos por etapas e quem cresce e amadurece aprende a separar "o joio do trigo", rsssss

Já cheguei na etapa "tô nem ai" prá quem não tem o que fazer e fica cuidando da vida da gente...EU cuido da minha e sigo em frente.

A hipocrisia é uma constante assim como o egoismo, a falta de carater, a mentira....e por ai vai...

Mas tem gente boa por ai viu....

Beijão Lindona e obrigado pelo carinho.

Cris Oliveira disse...

E continuo me "batendo" pra mudar meu template...vamos ver se agora engrena, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

comunicadoras disse...

Sou transparente demais, não consigo dizer aquilo que não penso; com a idade acabei por entender que não posso dizer aquilo que quero e penso de qualquer maneira; posso ser sincera, coerente, dizer só o que penso, mas com cuidado, sendo assertiva para assim ser autêntica sem magoar. Detesto hipocrisia, pessoas que dizem uma coisa e o olhar delas diz que estão pensando precisamente o contrário; com gente assim convivo só quando é necessário, não perco o meu tempo a manter conversas com pessoas dessas. Um beijinho amiga e, como se aproxima o dia das mães, deixo-te um um muito especial e desejo que tenhas muito carinho dos teus filhotes, não só Domingo, mas sempre. Aqui o dia das Mães foi Domingo passado; comemora-se no 1º domingo de Maio. Felicidades, amiga e espero que estejas bem de saúde que é o que mais importa.
Emília

Chica disse...

Vim aqui te desejar tudo de bom, não só amanhã,mas SEMPRE,tá? beijos,chica

Taia Assunção disse...

Nathália, sempre é tempo de aprender e de ensinar. Ver os filhos crescerem é tão bom, mas a saudade depois que isso acontece é tão grande. Quando eles são pequenos nos preocupamos com a educação, nos preocupamos em não faltar nada, e muitas vezes ficamos tão exausta que esquecemos de brincar, afagar...e quando piscamos óh: eles cresceram. Por isso te digo, curta cada minuto, abrace muito, beije muito, converse muito, e eles crescerão fortes e saudáveis. E você olhará para trás e ficará satisfeita com o resultado, ainda que você tenha que acompanhar isso de longe. Beijocas e obrigada pelo seu carinho!

Pelos caminhos da vida. disse...

Profissão Mãe.


Uma mulher chamada Ana foi renovar sua carteira de motorista.
Pediram-lhe para informar qual era sua profissão.
Ela hesitou, sem saber como se classificar.

"O que eu pergunto é se tem algum trabalho", insistiu o funcionário.
"Claro que tenho um trabalho" exclamou Ana. "Sou mãe!"

"Nós não consideramos mãe um trabalho. Vou colocar dona de casa", disse o funcionário friamente.

Não voltei a lembrar-me desta história até o dia em que me encontrei em situação idêntica. A pessoa que me atendeu era obviamente uma funcionária de carreira, segura, eficiente, dona de um título sonante.

"Qual é a sua ocupação?" perguntou.
Não sei o que me fez dizer isto. As palavras simplesmente saltaram-me da boca para fora: "Sou Doutora em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas."

A funcionária fez uma pausa, a caneta de tinta permanente a apontar pra o ar, e olhou-me como quem diz que não ouviu bem.
Eu repeti pausadamente, enfatizando as palavras mais significativas.

Então reparei, maravilhada, como ela ia escrevendo, com tinta preta, no questionário oficial.

"Posso perguntar" disse-me ela com novo interesse "o que faz exatamente?"

Calmamente, sem qualquer traço de agitação na voz, ouvi-me responder: "Desenvolvo um programa de longo prazo (qualquer mãe faz isso), em laboratório e no campo experimental (normalmente eu teria dito dentro e fora de casa).
Sou responsável por uma equipe (minha família), e já recebi quatro projetos (todas meninas).
Trabalho em regime de dedicação exclusiva (alguma mulher discorda?).
O grau de exigência é a nível de 14 horas por dia (para não dizer 24)"

Houve um crescente tom de respeito na voz da funcionária, que acabou de preencher o formulário, se levantou, e pessoalmente abriu-me a porta.

Quando cheguei em casa, com o título da minha carreira erguido, fui recebida pela minha equipe: uma com 13 anos, outra com 7 e outra com

Do andar de cima, pude ouvir meu novo experimento - um bebê de seis meses - testando uma nova tonalidade de voz.
Senti-me triunfante!

Maternidade... que carreira gloriosa!

Assim, as avós deviam ser chamadas Doutora-Sênior em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas, as bisavós Doutora-Executiva-Sênior em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas e as tias Doutora-Assistente.

Uma homenagem carinhosa a todas as mulheres, mães, esposas, amigas, companheiras, Doutoras na Arte de Fazer a Vida Melhor!

(Marcelo Dias).

beijooo.

Dani dutch disse...

OI Ná, Feliz dia das Mães pra vc. bjuss

Pelos caminhos da vida. disse...

Vamos começar a semana assim:

Desejo a você...
Fruto do mato
Cheiro de jardim
Namoro no portão
Domingo sem chuva
Segunda sem mau humor
Sábado com seu amor
Filme do Carlitos
Chope com amigos
Crônica de Rubem Braga
Viver sem inimigos
Filme antigo na TV
Ter uma pessoa especial
E que ela goste de você
Música de Tom com letra de Chico
Frango caipira em pensão do interior
Ouvir uma palavra amável
Ter uma surpresa agradável
Ver a Banda passar
Noite de lua cheia
Rever uma velha amizade
Ter fé em Deus
Não ter que ouvir a palavra não
Nem nunca, nem jamais e adeus.
Rir como criança
Ouvir canto de passarinho
Sarar de resfriado
Escrever um poema de Amor
Que nunca será rasgado
Formar um par ideal
Tomar banho de cachoeira
Pegar um bronzeado legal
Aprender uma nova canção
Esperar alguém na estação
Queijo com goiabada
Pôr-do-Sol na roça
Uma festa
Um violão
Uma seresta
Recordar um amor antigo
Ter um ombro sempre amigo
Bater palmas
De alegria
Uma tarde amena
Calçar um velho chinelo
Sentar numa velha poltrona
Tocar violão para alguém
Ouvir a chuva no telhado
Vinho branco
Bolero de Ravel...
E muito carinho meu.

(Carlos Drummond de Andrade).

Adoro essa msg e gostaria de partilhar com vc amiga.

beijooo.

Fernanda disse...

Olá amiga Ná!

Passo poucas vezes pelo seu Blog, desculpe.
Amiga, o que nós temos de comum para além do nosso diminutivo...dava para escrever um livro.
A mais evidente de todas é o que os outros possam falar de mim...eu só me interessa (quando interessa) saber o que me dizem na cara.
O que os outros fazem??? Não sei e tenho raiva de quem sabe...isso que me interessa.
Olha são tantas as semelhanças que ainda tem outra, não vai acreditar, a minha madrinha é Natália, eu quase me chamei Natália, a minha mãe é que não gostou e aí saiu FerNAnda.

Beijos

Rosi disse...

Olá

Vim retribuir a visita que vc fez lá no Mundinho e conhecer um pouquinho do seu blog.

Gostei daqui. Volto mais vezes, prometo!

Um abraço

Tati Pastorello disse...

De alguma forma a gente sempre sabe por que está falando (ou escrevendo), o que é um grande exercício, mas nunca sabemos onde iremos parar. E é sempre um pouco à frente, ampliando nosso auto-conhecimento.
Beijos.